Introdução

Para os que não sabem, estou em processo de escrever um livro, com o mesmo título desse blog. No momento, estou na parte da revisão, que é bem chatinha mas não menos importante!

Portanto, o livro é sobre viagens. Em particular uma viagem feita esse ano, Bolívia-Peru-Brasil.

Então, nada mais conveniente do que postar alguns trechos do livro aqui, certo? Então vai aí o primeiro capítulo. Quero a opinião de todos, críticas, elogios, desabafos, xingamentos, que seja!

Enjoy.

Introdução

A palavra “Travel” origina-se da palavra “travailen” do inglês intermediário, que se origina do termo “travailler”, do Francês Arcaico.

Uma das minhas principais razôes em viajar é a fuga da vida “normal”, uma vida que inclui rotinas diárias de acordar e ir trabalhar e todas as coisas relacionadas nesse meio; uma vida que não é normal. Uma vida normal no meu conceito é uma livre da rotina, aonde a imprevisibilidade é a norma e cheia de eventos inesperados.

Então, por volta de Maio de 2010, eu decidi em deixar o meu seguro mas insatisfatório emprego e viver a vida que eu sempre quis desde quando comecei a viajar sozinho no ano anterior; uma decisão não anunciada e talvez totalmente egoista, mas muito necessário a essa altura.

A minha primeira viagem foi uma estadia de treze dias na Patagônia Argentina, mais precisamente na cidade mais ao sul do mundo, Ushuaia. Embora esse título seja disputado entre mais duas cidades, Ushuaia veio a mim quase que de imediato: localizada na Argentina, um país que eu sempre quis visitar, e capital do arquipélago-província da Terra do Fogo.

Separada da terra-mãe pelo Estreito de Magalhães e descoberta por Fernão de Magalhães em 1520, eu comecei a desenvolver visões românticas a respeito dessa pontinha ao sul do continente Americano. Quando primeiramente comecei a pesquisar sobre o meu destino – pesquisas que são o primeiro estágio integral de qualquer viagem e que pode ser divertido e cansativo ao mesmo tempo – eu estava dividido entre Ushuaia e a cidade de San Carlos de Bariloche, mas não por muito tempo. O meu principal problema e o que fundamentalmente ajudou na minha decisão é que Bariloche era muito mais conhecida entre as duas e isso significaria uma cidade cheia de turistas, não viajantes. Ushuaia parecia muito mais exótico e acabei indo para lá.

Quase um ano depois, junto a um amigo, eu estava fazendo planos para uma viagem de carro para a Bolívia, Peru, Chile e Argentina

Advertisements

About Pedro Merigui

The Art of Traveliness book can be obtained here: https://www.smashwords.com/books/view/43106
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s